Como reconhecer os sinais de um AVC (Acidente Vascular Cerebral - Derrame Cerebral)

A American Stroke Association, uma divisão da American Heart Association, alerta para o fato de que os AVCs são a terceira maior causa de morte entre americanos adultos. Infelizmente os derrames cerebrais ocorrem com frequência, então é importante saber como reconhecê-los. A coisa mais importante a lembrar, quando encontra alguém que você suspeita ter sofrido um AVC é o tempo faz diferença. Se uma vítima de AVC chega ao hospital dentro de 2 horas do surgimento dos sintomas, os médicos poderão ser capazes de administrar uma droga que pode neutralizar alguns dos efeitos do AVC, e levar a uma recuperação mais extensa.

Há dois tipos de AVCs, e esta droga só é efetiva nas 3 horas seguintes (portanto o paciente deve chegar ao hospital em 2 horas) ao início de um AVC isquêmico. Um AVC isquêmico é similar a um ataque cardíaco, no sentido de que um vaso sanguíneo do cérebro é obstruído por um coágulo. O coágulo impede o sangue de fluir para a área afetada do cérebro, privando-a assim de oxigènio. Um medicamento trombolítico pode desintegrar o coágulo e restaurar o fluxo sanguíneo, se administrado dentro da janela de três horas.

As drogas trombolíticas não são efetivas para os AVCs hemorrágicos, que ocorrem quando um vaso sanguíneo se rompe e o sangue vaza sobre ou em volta do tecido cerebral da área afetada. Se um trombolítico for administrado a um paciente com um AVC hemorrágico, o sangramento pode aumentar e piorar a sua condição.

É muito difícil dizer qual tipo de derrame um paciente sofreu, sem os exames apropriados. Então, sempre é importante presumir que uma vítima de derrame cerebral sofreu um AVC isquêmico, e levá-la ao hospital o mais rápido possível. Entretanto, se você puder obter algumas informações com a família, ou com pessoas presentes ao episódio, talvez seja capaz de ajudar os médicos a determinar mais rapidamente qual foi o tipo de derrame cerebral que o paciente sofreu.

Se a vítima queixava-se de forte dor de cabeça, quase sempre classificada como "a pior dor de cabeça que eu já tive na vida", e/ou o ataque dos sintomas foi extremamente súbito, a probabilidade é de que a pessoa sofreu um AVC hemorrágico. Se o surgimento dos sintomas foi gradual, é mais provável que o AVC tenha sido isquêmico.

Independente do tipo de AVC que você suspeita que a vítima sofreu, as suas ações devem ser as mesmas: leve o paciente a um hospital imediatamente. Os derrames cerebrais mais frequentemente afetam a fala, os sentidos e as funções musculares. Alguns sinais indicativos incluem:

  • Paralisia. As paralisias tipicamente afetam uma ou as duas extremidades em um lado do corpo. Se ambos os lados do corpo forem afetados, o mais provável é que o paciente esteja sofrendo de uma lesão da espinha. A paralisia originada de um derrame cerebral aparecerá no lado do corpo oposto ao da área do cérebro que foi afetada. Assim, se o derrame ocorrer no lado direito do cérebro, a paralisia aparecerá no lado esquerdo do corpo.
  • Queda facial. Similar à paralisia das extremidades, um dos lados do rosto da vítima do derrame poderá perder a sensibilidade, ou paralisar completamente. Isto resulta em uma queda facial, que é a impossibilidade da vítima do derrame movimentar um lado do rosto. Peça à pessoa para sorrir, para testar a ocorrência de queda facial.
  • Alteração do estado mental. Uma alteração no estado mental de uma vítima de derrame pode variar desde uma simples confusão e ligeira tontura, até a completa falta de resposta a estímulos. Determine se o estado mental em que o paciente se encontra é o normal para ele. O paciente costuma confundir-se um pouco, ou este é um comportamento anormal para ele?
  • Fala anormal. Frequentemente a fala da vítima de derrame cerebral torna-se indistinta ou some completamente. Teste a fala do paciente, pedindo que diga uma frase simples como por exemplo "Não se ensina truques novos a um cachorro velho". Se o paciente utilizar palavras inadequadas, elas são ininteligíveis ou mesmo a pessoa é incapaz de falar, isto é um indicativo de um derrame.
  • Duração dos sintomas. Se o paciente sofre do que parece ser um AVC, mas os sintomas desaparecem num período de 15 a 30 minutos, esta pessoa pode ter sofrido um mini-derrame, ou ataque isquêmico temporário. Um ataque isquêmico temporário (AIT) é similar a um AVC, exceto pelo fato de que os sintomas desaparecem completamente após 24 horas (com frequência até em menos tempo), e não há dano neurológico resultante.
    Se um paciente apresenta sinais típicos de um AVC, mas os sintomas desaparecem gradualmente, suspeite de um AIT. Ainda é importante reconhecer um AIT e relatá-lo ao médico. Os AITs frequentemente são precursores de derrames cerebrais verdadeiros e completos, assim sendo é vital que você ou seu paciente consultem um médico se um AIT ocorrer.
  • Braço pendente. Outra técnica de avaliação de um AVC é pedir ao paciente para fechar os olhos e estender os braços para a frente por 10 segundos. Se um dos braços da pessoa pender de volta para baixo em direção ao lado dela, é provável que tenha sofrido um AVC. Qualquer movimento assimétrico dos braços deve ser motivo de preocupação.
  • Trauma na cabeça. Se você está certo de que o paciente não sofreu nenhum trauma na cabeça, e muitos destes sinais e sintomas estão presentes, pode ter bastante certeza de que ocorreu um AVC. No entanto, muitos destes sintomas, tais como fala enrolada, estado mental alterado e mesmo paralisia podem surgir em decorrência de um trauma na cabeça. Se você suspeita que pode ter havido um trauma, assegure-se de perguntar às pessoas presentes o que realmente ocorreu, e procure por sinais de trauma (hematoma, sangramento, mobília que foi batida e/ou afastada do lugar, etc). Lembre-se de que o próprio trauma pode ter sido causado pelo derrame cerebral (se o paciente caiu depois de sofrer o AVC), então não descarte a possibilidade de um AVC quando encontrar sinais inquestionáveis de trauma.
Sempre chame uma emergência médica (ambulância, hospital, serviço público de atendimento de emergências) em qualquer situação que inspire cuidados maiores. Especialmente com relação a uma vítima de derrame cerebral, levar o paciente rapidamente ao hospital pode significar a diferença entre uma recuperação completa (ou quase), ou efeitos duradouros e irreversíveis, ou ainda algo pior.