Como identificar sintomas e solicitar exames para hipotiroidismo

As doenças da tireóide afetam um número estimado de 28.000.000 de americanos. 80% destes têm hipotiroidismo, ou uma glândula tireóide com hipoatividade. Uma vez que os hormônios tireoideanos, chamados T-3 e T-4, regulam o metabolismo de cada célula do corpo, quando a glândula tireóide produz muito pouco destes hormônios, por causa do impedimento originado de um processo de doença, o corpo sofre de “hipotireoidismo”, ou metabolismo reduzido.

A doença da tireóide é mais comum do que o diabetes e câncer combinados, conforme fontes médicas confiáveis. Os americanos deveria ser mais educados com respeito aos sintomas e diagnóstico do hipotiroidismo, de forma que possam reconhecê-lo e receber o tratamento necessário de um médico credenciado. Os passos abaixo podem ajudar uma pessoa a reconhecer o hipotiroidismo e receber o diagnóstico definitivo através de exames de laboratório:

  1. Faça uma lista de seus sintomas para ver se eles combinam com os que são listados para hipotiroidismo. Quando uma pessoa está sofrendo de sintomas corporais de uma doença, pode suspeitar de hipotiroidismo se muitos sintomas conferem com os seguintes (comumente enumerados para esta doença): sentir frio em temperaturas quentes, pele seca e unhas quebradiças, cabelo que se tornou quebradiço e quebra ou cai, afinamento da sobrancelha e perda da sua 1/3 porção externa, ganho inexplicado de peso sem alteração da dieta, constipação, frequência cardíaca e respiração reduzidas, depressão, cansaço físico / fadiga e sentir volume ou aperto na garganta. Se você tem muitos ou todos estes sintomas, deveria ir ver seu médico e descrever seus sintomas em detalhes, além de pedir a ele para solicitar exames para você, para diagnosticar ou descartar o problema como sendo hipotiroidismo, além de outros exames que ele também possa recomendar.
  2. Verifique sua garganta para sinais de inchaço na área da glândula tireóide. O hipotiroidismo muitas vezes virá com uma condição conhecida como “papo”, simplesmente significando um inchamento da glândula tireóide. Isto pode ser verdadeiro em casos de “hipotiroidismo iodo imunodeficiente” (raro nos Estados Unidos) e “hipotiroidismo auto-imune” , também chamado de “Tireoidite de Hashimoto”, a causa mais comum do hipotiroidismo nos EUA. Como resultado do hipotiroidismo, a glândula tireóide pode ficar ou inflamada da “tireoidite autoimune”, significando que os anticorpos do sistema imunológico atacam a glândula devido a reconhecerem-na erradamente como um invasor (bactérias, vírus ou alérgenos), ou de uma glândula deficiente, inchando na tentativa de encontrar o iodo que falta ou o hormônio que se tornou insuficiente em seu interior. Em ambos os casos, pode haver inchaço visível no pescoço, logo abaixo do pomo-de-Adão, na frente a nos lados do pescoço. Este é o local onde a tireóide, uma glândula em forma de borboleta, situa-se embaixo da pele. Os lobos da tireóide medem aproximadamente 5 cm cada um (lados da garganta), e o istmo (área central) mede aproximadamente 5 cm em largura e comprimento, e a glândula tireóide pesa aproximadamente 28 gr. As projeções superiores dos lobos direito e esquerdo são chamadas polos superiores da glândula, enquanto as projeções inferiores dos lobos são chamadas polos inferiores. Além do inchaço geral da glândula tireóide, esta também pode desenvolver nódulos que se tornam visíveis ou podem ser sentidos por palpação (exame pelo toque). Nódulos são pequenos tumores / crescimentos, e, no caso da doença da tireóide, podem ser ou nódulos macios, similares a cistos preenchidos com líquido, ou podem ser nódulos sólidos, também chamados “nódulos gelados”, que requerem maior preocupação porque este tipo tem um risco mais alto de conter células cancerosas (malignidade). Pacientes com tireóide auto-imune muitas vezes têm nódulos múltiplos, quer dizer, muitos dentro da glândula. Mas, ter muitos nódulos também reduz as chances de qualquer destes nódulos serem cancerosos, Nódulos avulsos, que são maiores, também são mais suspeitos e necessitando ter descartada  a hipótese de serem malignos. Apenas 5% dos nódulos são identificados como malignos, no entanto as precauções sempre são necessárias quando há a possibilidade de câncer. Os nódulos sólidos / gelados também podem passar por uma biópsia através de um procedimento chamado “Biópsia de Agulha Fina” , que é um procedimento ambulatorial não-invasivo, que descarta ou confirma a presença de câncer mais definitivamente. Uma pessoa que suspeita estar com bócio, pode olhar em um espelho com a cabeça ligeiramente inclinada para trás e procurar detalhadamente por algum inchaço nesta localização e observando se aparece qualquer saliência nesta área do pescoço abaixo do pomo-de-Adão. Deste modo também é mais fácil sentir a tireóide, devagar, com as pontas dos dedos, enquanto a cabeça está inclinada para trás. Apesar de que este método pode detectar a maioria dos nódulos e casos de bócio, ele não pode detectar os que estão se desenvolvendo na parte mais interior da tireóide que crescem de dentro para fora, na direção do esôfago e da traquéia. Suspeita-se da presença destes tipos de nódulos quando um paciente tem problemas em engolir ou respirar.
  3. Peça que seu médico solicite para você um painel completo de tireóide, exame de sangue. Apesar de os sintomas e sinais que foram enumerados acima  apontam para uma doença da tireóide e hipotiroidismo, é importante que, uma vez que estes sinais / sintomas tenham sido reconhecidos, fazer exames de laboratório. O exame de sangue é o melhor exame diagnóstico isolado para detecção de doenças que existe no campo de exames médicos laboratoriais. Os exames d tireóide muitas vezes vêm em um agrupamento de exames chamados d “painel da tireóide”. Estes exames da função tireoideana incluem um exame do nível de “TSH”, que é um hormônio da pituitária (também chamado “tirotrófico”) que esta glândula cerebral envia à tireóide para estimulá-la a produzir a quantia correta do hormônio tireoideano que o corpo necessita. Este é o motivo porque é chamado “Thyroid Stimulating Hormone”, e quando este hormônio se torna elevado acima da faixa normal, significa que a tireóide está falhando em produzir hormônios adequados para suprir o corpo. Alguns médicos na verdade usam o TSH somente para examinar pacientes para hipotireoidismo ou uma tireóide hiperativa (hipertireoidismo) por causa de sua sensibilidade em detectar funcionamento anormal da tireóide mais cedo do que qualquer outro exame da função da tireóide. Este hormônio pituitário muitas vezes irá detectar o hipotiroidismo, antes mesmo que os hormônios da tireóide (T-3 e T-4) o façam. Um “Painel da Tireóide” (grupo de exames) também incluirá um exame dos níveis dos hormônios tireoideanos, que são o “T-4”, também chamados “níveis de tiroxina”, que contém quatro moléculas de iodo, e o “T-3”, também chamado “níveis de triiodotironina”, que contém três moléculas de iodo. O T-4 é referido em fontes médicas como o hormônio reserva,e apesar de auxiliar o corpo com o metabolismo, no nível do tecido, também converte no hormônio mais ativo T-3, que é muitas vezes mais poderoso do que o hormônio T-4 e mais ativo em regular o metabolismo do corpo. Qualquer destes dois hormônios ou uma combinação dos dois estando baixa, indica hipotiroidismo. Se além disto o TSH está alto, com qualquer um dos dois estando baixo, isto, também, indica hipotiroidismo. Mesmo se os dois hormônios estão dentro dos intervalos normais mas o TSH está elevado, isto também indica hipotiroidismo.
  4. Solicite uma imagem ultra-som ou um exame de captação da tireóide. Estes exames são mais importantes quando papo ou nódulos se manifestam na tireóide. Alguns pacientes podem ter estas condições, mesmo antes que os hormônios da tireóide ou os níveis de TSH se tornem anormais. Um “Ultra-som da Tireóide” é um processo de imagem que usa som sensível para obter uma imagem detalhada da tireóide e seu tecido e textura. O ultra-som também detecta um papo leve que não é visível ou sentido por palpação, e nódulos que também possam estar presentes. Um “Exame de Captação da Tireóide” realiza as mesmas coisas, mas com o uso de iodo radioativo injetado que é absorvido pela tireóide. A imagem radiológica que resulta também revela o quanto a tireóide está funcionando bem (ou não). Uma Imagem e Captação pode determinar o quanto a tireóide está funcionando bem em um nível percentual estimado altamente preciso. Embora um ultra-som não faça isto, ele irá revelar se a tireóide tem uma textura anormal, como os que resultam da doença auto-imune da tireóide (textura heterogênea – hashimoto) e pode também revelar quaisquer cistos ou massa sólida. Estes quatro passos são observações sintomáticas de alto valor e os exames que estão disponíveis não apenas para detectar a doença da tireóide e hipotiroidismo, mas também para revelar a severidade ou manifestações da doença. O hipotiroidismo que não é tratado aumenta o risco de outras desordens da saúde nos pacientes portadores deste, incluindo doenças cardíacas e diabetes.


Uma vez diagnosticado, pacientes com hipotiroidismo podem prosseguir em buscar o tratamento adequado, com o auxílio de seu médico credenciado.