Como respeitar uma mulher muçulmana que usa um véu

Você se avistou-a na capa de um romance sensacional, contando uma história banal de crueldade patriarcal e opressão; você a viu num país ocidental, parecendo uma pessoa desajeitada - um "saco negro" aparentemente desprovido de liberdade e direitos humanos; você já a viu circumambulando o Santo Ka'ba em Makkah, e nenhum centímetro da sua pele de fora do seu inteiro hijab, incluindo luvas e uma gaze para cobrir os olhos, se perguntando como ela sobrevive no calor daquele traje (porque você não pode esperar para tirar sua burca / abayaem no seu vôo de volta para o seu mais "brandos" e laico país muçulmano). Este "robô" velado, como ela é conhecida nos meios de comunicação social, é um objeto de desdém para a feminista, desgosto para as rainhas de beleza, lamentável para o sexo oposto, ao abuso e ao ódio racista preconceituoso, e mistério para o grande espectador. Ela tem uma voz? Um desejo? Uma personalidade? Uma vida?

Antes de explicar como as pessoas podem respeitar a moderna mulher por trás do véu muçulmano, e por que qualquer mulher em seu juízo perfeito optaria se vestir daquele jeito, eu faria uma pergunta ao leitor: se você quiser viajar para um lugar no mundo, e você queria saber como era, em quem você confiaria mais para lhe fornecer a resposta correta - uma pessoa que esteve lá, morou lá, experimentou a vida lá, ou, de outra pessoa que tem a sua opinião baseada em boatos, nos meios de comunicação, ou preconceito? Em qual pessoa que você confiaria para lhe fornecer uma resposta mais confiável? Sem dúvida, aquela que já visitou o local. O mesmo princípio aplica-se a obter respostas às suas perguntas sobre o véu das mulheres muçulmanas, e por que elas se vestem da maneira como o fazem. Em vez de formar uma opinião baseada em boatos, notícias da imprensa, ou propaganda, é preciso abordar um mulher muçulmana velado, com conhecimento, e descobrir dela, porque ela se veste do jeito que ela faz.

  • Não presuma que ela foi forçada a aceitar o véu por um marido ou pai patriarcal:
    A maioria das jovens mulheres muçulmanas de hoje estão começando a usar o véu por sua livre vontade. Não só elas são corajosas o suficiente para mudar sua imagem, começar uma vida de ser perpetuamente julgadas pela maneira como se vestem, e constantemente ter que explicar a sua fé para curiosos, elas também têm que provar  indivíduos mentalmente conscientes e instruídos. Dê-lhes o benefício da dúvida - nem todas as mulheres são tão fracas de vontade que só um homem pode fazê-las mudar o modo como vivem. Talvez você deve considerar que o seu Deus, Alá, é mais um incentivo para a sua mudança de vestir e estilo de vida. Embora seja verdade que muitos homens rurais e conservadores fazem suas mulheres usarem o véu, assim como muitos homens que se casam regressam ao Islã, a maioria das mulheres muçulmanas instruídas de hoje aderem ao véu após a extensiva leitura, estudo e a pesquisa do Alcorão , narrações ahadith (atribuído ao Profeta Muhammad [??? ???? ???? ????]) e livros islâmicos. Não apenas isso, a maioria delas realmente desafiam seus pais e os desejos dos maridos em assumir o hijab.
  • Não presuma que ela não é educada, civilizada ou esclarecida, a não ser que se prove em contrário por ações dela:
    Eu sempre me divirto com forma como as pessoas, mesmo nos países muçulmanos vira  a cabeça parecem surpresos quando eu falo Inglês fluente em lugares públicos. Lembro-me de ser ignorada por uma comissária de bordo que serviu-me diretamente a cozinha regional, assumindo provavelmente que eu não iria sequer compreender o nome do prato internacional no menu, embora ela perguntou ao meu parente sentado perto de mim, "Você prefere comida paquistanesa ou européia? " antes de serví-lo. Tem havido inúmeros incidentes desta natureza tanto localmente quanto internacionalmente, em que cada espectador presume que a mulher que usa um véu no rosto e "berqa" nem sequer são capazes de compreender ou conversar em Inglês, possuem um diploma universitário, uma profissão diferente de ordenhar cabras, ou uma exposição mental que pode estar a par com os seus próprios conhecimentos da atualidade.
  • Ela não se veste assim 24h por dia - Provavelmente ela é linda e veste roupas elegantes, quando não está perto de homens:
    Só porque você não pode realmente ver como ela aparenta, uma vez que ela se cobre de homens nos lugares onde estes últimos estão por perto, não significa que ela não tenha nenhum senso fashion, nenhum guarda-roupas, ou nenhum gosto em roupas, sapatos e acessórios; as mulheres muçulmanas tomar cuidado para manter a higiene e cuidados pessoais. Elas são, simplesmente, lindas de se observar - um fato agravado pela falta de exibição pública dos seus rostos e corpos, e da pureza do caráter e da imponência de sua modéstia. Freqüente um casamento exclusivo das mulheres ou uma festa Eid dadas por essas mulheres com véu islâmico, e você ficará surpreso ao ver como eles são lindas sem os seus véus, como têm bom gosto para roupas, e o quão bem elas cuidam de seus cabelos, pele e corpo. As mulheres muçulmanas limpam-se apenas para a sua satisfação pessoal - para se sentir bem consigo mesmas. Eles não precisam, nem desejam, serem chamadas de bonitas, olhares sensuais, assovios, e expressões nos rostos de homens estranhos para saber que elas são bonitas.
    Eu sempre me divirto lendo comentários em blogs e sites de notícias de pessoas desgostosas, que "lamentam" as mulheres veladas muçulmanas. Uma tal mulher disse: "Imagine, elas nunca vão sentir o vento em seus cabelos, o sol em seus rostos, a enorme alegria de correr em lugares abertos ..." e eu tive de sufocar uma risada. Assim como uma garota uma vez me disse, "Você não pode sequer pensar sentar lá fora, no sol, a menos que todos os homens no mundo morram!"
    Talvez ela não saiba dos inúmeros parques, trilhas nas florestas, praias e ilhas remotas onde os homens não estão em volta, em que as mulheres muçulmanas podem tirar seus véus e desfrutar do sol. Talvez ela não saiba que alguns muçulmanos têm enormes palácios, onde elas têm pródigos gramados com lagos, piscinas e pedrarias artificiais, em que as mulheres muçulmanas convidam suas amigas para desfrutar do sol ao ar livre, a maioria com crianças. Existem muitas casas com terraços, e aqueles com pátios abertos, cobertos, onde as mulheres muçulmanas desfrutam do vento, sol e chuva. O tempo médio do dia, em que uma mulher muçulmana velada usa o véu é insignificante comparado ao tempo em que passa sem ele. No entanto, quem está interessado em como ela é no seu momento de privacidade? Nós estamos muito ocupados julgando sua aparência exterior, totalmente coberta.
    O verdadeiro problema para a mulher que não gosta do véu, é que ela não consegue imaginar uma vida sem a sempre presente e cada vez mais desnecessária atenção masculina. Ela não sabe como uma mulher poderia ter uma existência feliz e recompensadora se os homens não pudessem admirar sua beleza ou desfrutar da sua companhia. Assim, quando um brilhante exemplo deste tipo de mulher passa por ela na estrada, ela levanta o seu nariz, indignada.
    Seria tão repulsivo, ser indiferente aos homens?
  • As mulheres que usam o véu são capazes de fazer muitas atividades físicas, sem quaisquer problemas ou acidentes:
    Imagine ficar com uma máscara sobre seu rosto durante horas, realizando complicadas cirurgias dentárias ou cerebrais. Imagine trabalhar num laboratório com produtos químicos perigosos, vestindo um traje exterior que cobre suas roupas, luvas nas mãos, e uma máscara de proteção ao longo do seu nariz, em um ambiente controlado com rigor. Imagine ser lançados no espaço, vestido um traje pesado e capacete que vale o seu peso sobre seus ombros. Imagine o traje dos pés à cabeça de um esquiador, piloto de corridas, motociclista, pára-quedista, ou um mergulhador de alto mar usam para embarcar no seu esporte favorito - envolvendo um extenuante estresse físico e exercício.
    Agora, abra sua mente e pense: você nunca se pergunta por que ele ou ela se vestem assim, apesar desta missão desafiadora fisicamente? Será que você se importa se eles acham difícil de respirar com os seus rostos semi-cobertos, ou de se deslocar por causa do seu traje de corpo inteiro? Você poderia argumentar que sua farda ou traje é necessário devido ao risco de dano físico ou outras circunstâncias ambientais. Bem, é tudo uma questão de perspectiva, então, não é? Para uma mulher muçulmana que acredita ser um traje dos comandados de Alá, há um elemento de necessidade também. Porquê, então, ela é criticada porque ela tem que levantar uma ponta do pano de seu rosto cada vez que ela coloca uma colher cheia de comida na sua boca em um restaurante público? Porque seu manto leve é culpadas por "ser perigoso" para o seu equilíbrio, quando ela sobe escadas ou entra num veículo? Porque todo mundo está tão certo de que o hijab dela, o naqab e a "burca" / abaya, são tão fisicamente impraticáveis ou restritivos?
    Esta que vos escreve tem conduzido um automóvel, sem quaisquer acidentes, desde 2003, com a minha abaya e naqab. Sim, o meu manto paira em torno de tornozelos, e meu véu provoca uma obstrução pequena, muito parcial, das vias laterais na minha visão. Peguei voos transatlânticos no mesmo traje, sem ter tirado o meu véu rota nem uma vez; tenho conduzido uma bicicleta numa sub-divisão em um subúrbio dos E.U.A. com sucesso, sem acidentes ou quedas, vestida com o mesmo véu e abaya.
    "Mas não é prático nos dias de hoje!" os espectadores insistem. Dê uma olhada nas fotografias dos cientistas e desportistas acima, e reflita sobre esta afirmação.
    Nas zonas rurais do Paquistão e da Índia, as mulheres pobres da aldeia fazem vários trabalhos ao sol quente o dia todo, vestindo roupas longas e véus (dupatta's), buscando água em baldes sobre a cabeça, moendo farinha, lavando roupas e tendendo a outras tarefas ao ar livre, o tempo todo vestidas com roupas soltas, tais como o "ghagra-choli" e um "chador". Suas roupas soltas e véu no rosto tem mais a ver com cultura, tradição e costumes da sociedade, do que com a religião. No entanto, eles não têm qualquer queixa das suas roupas interferindo no seu árduo trabalho físico de qualquer maneira.
    Talvez todas as acusações relativas a uma mulher muçulmana do véu têm mais a ver com a atitude mental dos observadores do que reais problemas práticos relacionados à mobilidade e ao conforto?
  • Mesmo os homens usam vestes longas e a cabeça coberta nos países quentes do mundo:
    Eu fico muito surpreendida quando os homens afirmam abertamente que o véu é "desumanização e depreciação" para uma mulher.
    Há países no Oriente, onde a vestimenta nacional para homens inclui uma longa, única peça de roupa - uma "thobe" - calças, e um manto de cabeça que protege-as do forte calor e vento poeirento.
    Estes homens conduzem atividades normais, do dia-a-dia e até mesmo trabalham em seu escritório nestes trajes. Eles vão a caçadas e safáris vestindo as mesmas roupas.
    Apesar das condições atmosféricas extremamente quentes e do pó, tanto homens como mulheres nesses países usam essas peças soltas sem sentir qualquer desconforto.
  • Ela não fica desidratada, com deficiência em vitamina D, ou com falta de oxigênio:
    Um recente tendência nos meios de comunicação começaram a incidir sobre a forma como as mulheres muçulmanas que usam véus podem estar sofrendo de uma deficiência de vitamina D, porque a sua pele não é exposta à luz solar suficiente. Essa é uma teoria infundada, porque elas de fato expõem a sua pele à luz solar diretamente, simplesmente não o fazem em lugares públicos.
    Na verdade, trata-se apenas nas últimas décadas o sol tem sido cada vez mais considerado "bom pra pele", depois que o biquíni que entrou na moda, e até mesmo o topless e praias nudistas abundantes em alguns países. Desde muitos anos antes desta tendência, porém, o sol era considerado prejudicial para a pele. Chapéus e guarda-chuvas protetores eram usados para sombrear o rosto de seus raios, até mesmo por homens. Pense sobre a vida no Ocidente há um século - as mulheres iam para as praias usando o que eles usam hoje?
    A produção de vitamina D não precisa de horas de exposição prolongada da pele ao sol. Poucos minutos por dia é suficiente, o que mesmo mulheres muçulmanas veladas pegam facilmente.
    A maioria dos tecidos do abaya e véu são macios e leves para vestir para uma mulher muçulmana. Com o tempo, seu corpo se acostuma a camada extra de roupas e se ajusta a ela. Conseqüentemente, ela não precisar de água para beber a todo momento, ou ar frio para se sentir confortável. Ela não se sua constantemente dentro do véu. Este último fato permite-lhe ficar protegida do calor do sol, da poeira e do vento. A maioria das mulheres com véu, portanto, têm uma pele impecável e saudável.
  • Ela, mais frequentemente do que não, enfrenta as mais fervorosos oposições sobre o seu véu dos próprios muçulmanos:
    Talvez este seja um aspecto de sua vida que ninguém nunca dá a ela o devido crédito. A maioria das oposições antagônicas, vocais, críticas e insultos que uma mulher muçulmana recebe por usar a abaya e o véu no rosto, vem dos próprios muçulmanos. Ela enfrenta forte oposição nas seguintes categorias:

    • Os pais dela se opões ao véu por medo de que ninguém vai se casar com ela, uma vez que os homens não serão capazes de verem publicamente sua beleza, o que é considerado o principal fator para atrair uma boa proposta de casamento no Oriente.
    • Ela será socialmente hostilizada por parentes e outras famílias por seu aparecimento, nestes trajes em casamentos e outros eventos, onde há liberdade de mistura e socialização.
    • Ela vai ser rotulada como uma extremista e não será capaz de progredir profissionalmente no mundo corporativo, porque na maioria dos escritórios, se espera que as mulheres "estejam apresentáveis e dispostas a trabalhar em um ambiente de equipe".
    • Ela vai ter de provar eternamente o seu calibre mental, personalidade forte e inteligência, uma vez que suas vestes vão fazer as pessoas presumirem que ela não é muito educada.
    • Uma vez que a maioria das outras mulheres muçulmanas não usam o véu, estas sentem que uma mulher com véu está a desafiar a sua fé no Islã. Como um mecanismo de auto-defesa, elas se tornam distantes ou mesmo hostis, reduzindo a interação social com ela, porque cada vez a encontram e a vêem fazendo toda a coisa do "hijab-naqab", elas são lembradas do fato de que não o fazem.
    Como resultado, quando uma mulher com véu islâmico frequenta qualquer evento social, as pessoas, na maioria das vezes a ignoram, ou falam com ela só quando ela fala com eles. Eles sentem «medo» daqueles panos no rosto dela, das suas «horríveis» luvas e meias pretas. Em outras palavras, eles julgar um livro pela capa.
    Abaixo está um vídeo que mostra as diferenças entre as mulheres muçulmanas na sua abordagem em relação hijab, com base em suas crenças pessoais:

    • O disfarce da mulher não foi iniciado pelo Islão:
      O véu na mulher não foi iniciado pelo Islã:
      O advento do Islã aconteceu um pouco mais de quatorze séculos atrás. Obrigou as mulheres muçulmanas a usarem o véu muitos anos após a primeira revelação divina.
      A tradição de usar um véu, porém, existia séculos antes do Islã aparecer e confirmá-la. Portanto, aqueles que acham que só os muçulmanos têm recorrido ao véu para sua mulher, estão mal informados.
      A história do véu mostra que ele existe desde milhares de anos. Outras religiões, como o hinduísmo e o cristianismo, têm apoiado o conceito do véu de alguma forma ou de outra.
      Ironicamente, em algumas sociedades, o véu era limitado à mulheres nobres e da elite, ou seja, era considerado um símbolo de alta patente ou status. Não era incomum, pois, que as esposas dos reis usassem véus.
      Mesmo nos dias de hoje, noivas usam véu na sua cerimônia de casamento. Também é comum às viúvas usarem um véu negro no funeral de seus maridos, mesmo que seja apenas uma rede pairando sobre seu rosto a partir da aba do seu chapéu.

      De uma coisa podemos todos ter a certeza: a incidência e a prevalência do véu - ou "pardah"- Está definitivamente em alta, tanto nos muçulmanos, bem como países não-muçulmanos. Mulheres jovens, urbanas e mais educadas o aprovam, não apenas como uma maneira de vestir, mas como um completo modo de conduta e estilo de vida. É uma tendência que outras terão de enfrentar, de um modo ou de outro, nos próximos anos. Você, como um espectador, não têm de compreender por que razão a mulher muçulmana opta por usar o véu; você não tem que aceitá-la; você não tem sequer que concordar com ela, o que você pode fazer, porém, é respeitar a sua decisão, sua escolha de se vestir do jeito que ela se veste. Talvez então, todos nós podemos viver e deixar viver, em paz e harmonia mútua, neste mundo.

  •