Como escrever uma Peça de Teatro de Um Ato

Quando as pessoas pensam em peças, várias coisas as vêm à cabeça. Uma das coisas pode ser “Cara, essa demorou!”.Enquanto algumas peças ótimas parecem fazer o tempo voar, várias outras peças de longa duração podem chegar a, no mínimo, duas horas. Algumas peças bem conhecidas – como as de Shakespeare ou Eugene O’Neil – são muito, muito longas. Outras, no entanto, quase não alcançam o marco de uma hora e não têm nem intervalos. Estas peças de meia a uma hora são geralmente as peças de um só ato. Escrever uma peça de um ato pode ser um grande desafio para escritores “de primeira viagem”, para dramaturgos acostumados com peças de longa duração ou para escritores de roteiros que geralmente consideram as histórias em estruturas de três atos. Por outro lado, escrever uma peça de um ato pode ser uma ótima experiência. Aqui estarão alguns jeitos de começar a escrevê-la. Mas mantenha em mente que escrever uma peça, como a maioria das coisas, requer muito mais do que só seguir o processo. Prática, experimentação, estudos, ajuda de profissionais – e eu já falei de prática? – serão necessários também.

  • Assista ou leia peças de único ato.Minha primeira sugestão para qualquer um que quer adquirir nova prática na escrita é conhecer exemplos a serem seguidos. Existem muitas peças de um ato disponíveis para ler que foram escritas por renomados dramaturgos e outros que entram e saem da “cena”.Estude os roteirospela construção dos mesmos – O quê acontece quando?Quantos personagens e cenários são usados? Qual é o tempo em que se passa a peça: um dia, um ano? – As peças variam muito em conteúdo e formato, é claro, e esta é somente mais uma razão para ler e se possível assistir muitas peças de um ato caso queira escrever uma: assim você conhecerá diversas maneiras de proceder com sua história.

    As peças de um ato diferem das de longa duração também na repercurssão da temática. Elas terão menos personagens ou talvez cenários mais simples. No entanto, principalmente, elas focarão em um só personagem ou situação e um objetivo – terá pouco tempo para tramas paralelas ou cenas que não envolvam o personagem principal e sua história. Isto é algo que você reparará na leitura das peças de único ato e algo que você deve manter em mente durante o processo de escrita.
  • Escolha um personagem principal.Eu realmente penso que existam algumas questões principais que um escritor deve abordar quando se senta para contar sua história, a não ser que a história seja incrivelmente inconvencional e, neste caso, você estará sozinho. A primeira questão é “Quem é o seu personagem principal?”. Uma história, mesmo com um grande elenco, precisa de um “líder” para trazer o foco do tema. Em uma peça curta, de um ato, as chances são de que seu elenco seja pequeno, talvez com quatro ou cinco pessoas. Achar seu “líder” não deve ser difícil. Pergunte-se “De quem é esta história? De qual ponto de vista a vemos?”.Este será seu personagem principal.
  • Dê um objetivo ao personagem.Uma vez decidido qual será o personagem principal, descubra seu objetivo. Um personagem, em qualquer texto, deve ter um objetivo a ser alcançado durante a história. Hamlet quer fazer justiça por seu pai.Dorothy quer ir para sua casa no Kansas.Para escrever sua peça, você deve determinar um objetivo para seu personagem principal. Para alcançar tal objetivo, ele deve ter algumas coisas em paralelo a serem feitas, mas o foco, seu “desejo” deve continuar o mesmo. De certo modo, o que o seu personagem quer será o tema da peça.
  • Discuta sobre os obstáculos que seu personagem enfrentará.Dizem por aí que o coração da escrita dramática é o conflito. Uma vez que você sabe quem é seu personagem principal e o que ele quer mais do que tudo, você precisa fazer a parte difícil, que é descobrir quais obstáculos ele enfrentará e como os enfrentará (caso ele os enfrente..). Mantenha em mente, cada obstáculo deve ser mais difícil do que o anterior: Você não quer ver alguém destruir seu arque-inimigo e depois ter de achar as coordenadas para uma casa. Você quer que o cara ache as coordenadas – um obstáculo fácil de passar – e depois vencer o inimigo (talvez seja o clímax da história, dependendo do objetivo do seu personagem).

    Enquanto você arma os obstáculos – basicamente, sua história – mantenha em mente algumas outras coisas. Você deve começar os conflitos “tarde” na história; em outras palavras, quando Dorothy entra em uma confusão com a Sra. Gulch, isso não acontece no dia em que ela se muda para casa da Tia Em. Você também deve ter certeza de nos dar tempo para conhecer a personagem antes de se apressar para Estrada de Tijolos Amarelos. Mas lembre-se, você tem que estabelecer pequenos conflitos por toda trajetória da peça e com uma peça de um só ato você não terá tanto tempo para introduzir as coisas quanto em uma peça de longa duração. Isso significa que você terá que mudar o rumo da história com agilidade, em um momento-chave no qual a personagem terá de fazer uma grande decisão que a colocará naquela Estrada de Tijolos Amarelos, independente de qual seja a estrada certa para alcançar o objetivo determinado.
  • Trabalhe nas personagens. Enquanto você desenvolve os obstáculos da história, você sempre deve desenvolver também as personagens, ambas a personagem principal e qualquer outra personagem envolvida também com a principal. Pense sobre o que os personagens de apoio querem – eles também devem ter objetivos. Pense como um personagem é um obstáculo para outro. Também pense como eles poderão ser “multi-dimensionais”, isto é, em outras palavras: quais serão seus pontos fortes e pontos fracos, suas influências de caráter e etc. Veja como os personagens em suas peças favoritas são revelados nas questões de lidar com os conflitos, interagir com outros e como os outros os descrevem. Use as mesmas técnicas em sua peça enquanto você constrói os personagens.
  • Trabalhe o cenário. Enquanto você desenvolve a história e os personagens do seu roteiro, também considere o cenário. Geralmente as peças de único ato terão cenários simples os quais requerem que a audiência use um pouco de imaginação. Outrora, peças de único ato podem ter também cenários bem elaborados. Mantenha em mente, caso você esteja começando como dramaturgo e quer que seu trabalho seja produzido, elaborar demais os cenários acabar indo contra você – mas é claro, faça o que é melhor para sua peça. Às vezes, o cenário é muito importante. O mágico de Oz precisa de Oz. Em outros momentos, você pode estar em um café simples ou em uma sala de estar que pode não surtir efeito nos personagens. Considere o cenário das suas peças favoritas – como ele funciona na história, o quão importante ele é e como o dramaturgo o descreve.
  • Rascunhe as cenas.Uma cena é uma unidade básica dramática dentro de uma peça. Pode ser violentamente descrita como a parte sólida da peça que acontece em certo tempo ou espaço. Se você ler algumas peças, você poderá analisar como o dramaturgo divide o ato em cenas. Alguns atos terão uma única cena e outros terão várias, mesmo sendo uma peça pequena de um ato só.A chave de cada cena é mover a história e a personagem para frente.Em outras palavras, cada cena deve envolver um conflito e não simplesmente pessoas conversando.E cada conflito deve, de certa forma, envolver o personagem em alcançe de seu objetivo. (Em uma peça de múltiplos atos, você deve também ter cenas onde a personagem principal está ausente, mas você não precisa gastar este tipo de tempo longe da personagem principal na peça de um ato).

    Seu trabalho vira transformar a lista de obstáculos que estão no caminho da personagem em cenas. Por exemplo, a Bruxa Má, que é um obstáculo, surgirá como uma cena: “Dorothy luta com a Bruxa Má e rouba sua vassoura”. Algumas pessoas preferem seguir em frente e escrever as cenas direto ao invés de rascunhá-las antes. Às vezes eu faço isso, mas é muito mais difícil reescrever uma cena inteira do que rearranjar algumas partes de um rascunho.
  • Escreva e reescreva.Uma vez que você sabe onde o seu personagem principal vai, é o momento de realmente começar a escrever a peça. Não há jeito fácil de fazer isso. Se você já escreveu antes, você sabe que tudo requer algumas rasuras e reescritas. Caso você não tenha escrito antes: tudo o que é bom requer algumas rasuras. Então enquanto você escreve, mantenha em mente, não ficará perfeito de primeira! Mas não tem problema, confie em si mesmo!

    Também considere que a escrita criativa de qualquer forma é uma arte que tem de ser trabalhada com tempo e aperfeiçoada. Eu sugiro pegar alguns direcionamentos de algum dramaturgo caso você não tenha um plano determinado. Se você já tem alguns planos de escrita, você provavelmente considerará que a leitura de outras peças já dão uma noção inspiradora.

    Escritores também ocasionalmente voltam para os básicos para ver se alcançaram seus objetivos: Estão claros o personagem principal e seu objetivo? Existem alguns obstáculos e personagens interessantes? O diálogo soa autêntico? Eles também podem olhar para partes mais íntimas da peça: o tema está sobressaindo? As metáforas estão funcionando?Em qualquer caso, é quase impossível julgar objetivamente tudo o que você precisa melhorar. Você deve seguir seus instintos na maioria das coisas, mas não “trabalhe sobre vácuo”. Procure um professor, um escritor profissional, um consultor pago ou alguém de confiança e peça a opinião da pessoa sobre o que deve mudar. Uma vez que isto é escrita dramática, também pode te ajudar, enquanto você passa pelos rascunhos, que alguns atores leiam seu roteiro em alguma reunião teatral. Isto é geralmente feito com escritores que fazem estágio em teatros profissionais e em sessões acadêmicas, mas caso você esteja começando, você pode achar uma comunidade de teatro na qual as companhias teatrais e pessoas irão te ajudar com prazer.
  • Procure por oportunidades de mandar seu texto. Existem muitos concursos de dramaturgia que procuram por peças de único ato.Também existem muitas companhias de teatro que vão entusiasmadamente aceitar envios de peças de um ato. Se tal oportunidade será paga ou não é outra história, mas se você escreve pela paixão (e tem um trabalho decente em paralelo), a alegria e empolgação de ver o seu trabalho sendo produzido já será um bom pagamento. Alguns sites têm arquivos de concursos de dramaturgia e guias de submissões teatrais. Veja os links abaixo para maiores informações.


Escrever uma peça de qualquer tamanho pode ser um desafio.Escrever uma peça de um só ato que cobre tudo em tempo limitado – traços característicos, profundidade no assunto e oferece à audiência uma experiência memorável – não é uma exceção. Seguindo bons exemplos, fazendo com calma o processo de pré-escrita da peça e se doar para, caso necessário, reescrever tudo, te ajudará a colocar o melhor de si e o seu melhor roteiro nos palcos.