Como redigir uma carta pessoal para a faculdade

Escrever uma carta pessoal para a faculdade pode ser uma tarefa difícil e assustadora. Em uma carta para a faculdade, você está tentando se vender e mostrar aos representantes das admissões por que você deveria ser escolhido em detrimento de outros candidatos qualificados. Esta situação pode ser ainda mais assustadora quando você percebe que de duas a cinco pessoas na escola estarão analisando a sua carta – A SUA precisa se destacar ao mesmo tempo que também responda aos critérios e questões que a faculdade delineou.

Se você estiver aplicando para várias faculdades diferentes, utilizar uma carta genérica vai ser facilmente percebida e tão facilmente descartada. POR QUÊ? Porque você vai ser visto como alguém que não faz um esforço para se vender para esta escola em particular - pouco esforço é igual a pouco interesse dos representantes das admissões. Lembre-se, a comissão de admissão irá provavelmente ler milhares de cartas de candidatos qualificados e eles vão detectar uma fraqueza, falha ou falta de atenção ao processo rapidamente. O que você não quer fazer é dar a essa comissão uma desculpa fácil para descartar a sua carta e o seu formulário de admissão.

Quando se fala de Representantes de Admissão em todo o país, há um aspecto em uma carta pessoal, em que todos concordam - seja você mesmo e deixe-os ter uma idéia do tipo de pessoa que você realmente é. Isso inclui as suas motivações e a sua capacidade de avaliar as experiências pessoais e o efeito que tiveram sobre você. Se você entende que 8 das 10 cartas pessoais não conseguem fazer isso, então você está bem no seu caminho para ser de 1 dos 2 candidatos em cada 10 que se destaca.

  1. O primeiro passo para preparar a sua carta pessoal para a faculdade. Aproveite o tempo para pesquisar e entender a doutrina e a missão da escola, uma vez que isso será refletido intrinsecamente em sua carta e prova que está endereçando a sua carta para esta universidade em particular. No entanto, não repita mecanicamente as informações deles de volta para eles - eles já sabem disso e isso sai do caminho de ajudar a compreender VOCÊ. Entender o público da sua carta vai te ajudar a desenvolver conteúdos que vão prender a atenção deles. Em seguida, certifique-se que você entende os requisitos para a sua carta, incluindo:
    • Formato
    • Limite de palavras
    • As perguntas a serem respondidas
    Caso você deixe de fazer alguma das situações acima, a sua candidatura já vai ser vista de modo diferente. Limites de palavras são fixados e se você puder se imaginar com o trabalho de ler milhares de cartas, é possível perceber porquê. Não responder a nenhuma das perguntas dará sua candidatura um bilhete só de ida para o monte da rejeição. Isto ajudará também com a próxima etapa - planejamento.
  2. Planeje a sua carta pessoal. Planejamento não só te dá um esboço para trabalhar - também ajuda a evitar o temido bloqueio do escritor. Provavelmente, você já teve que planejar e escrever muitos textos para chegar a este ponto: não seja complacente pulando esta etapa, pois pode levar a omitir informações necessárias ou úteis. O planejamento também pode garantir que você não dê espaço para “embromação” ou escrever um romance em vez de uma carta de 500 palavras. Planejamento parte A.  Escreva o que você pode fornecer a informação, incluindo a sua experiência / motivações. Escrever tópicos vai lhe dar pistas para o conteúdo quando você for realmente escrever a carta. Aqui estão algumas perguntas que você poderia usar para formular informações:
    • Quem é que eu realmente acho que eu sou?
    • Quem as outras pessoas acham que eu sou? (características e habilidades incluem, por exemplo, ser leal, trabalhador, líder nato, ter atenção aos detalhes)
    • O que causou mudanças em quem eu sou, ao longo dos anos?
    • Como eu cresci como pessoa e o que provocou essas mudanças ou crescimento?
    • Como essas experiências me afetaram?
    • O que me torna único? Esta é uma questão extremamente difícil de nos perguntarmos, sem colocar clichês. Este é um grande momento de honestidade e de auto-reflexão para se diferenciar. Você pode, na realidade, ser como muitas outras pessoas; no entanto, duas pessoas não experimentam a mesma coisa da mesma forma com os mesmos resultados. Aqui está uma das ótimas respostas que eu tive no passado: "Sim, eu sou único, assim como todo mundo." Adicione um MAS depois disso, e estou certo de que fará você pensar. Se você estiver realmente travado, é hora de fazer pesquisas com colegas fiéis, amigos e familiares - você pode se surpreender com o que vai aparecer.
    • O que eu tive que superar no meu passado para estar onde estou hoje? Posso relacionar estas experiências com os meus objetivos para o futuro ou com a minha motivação?
    • Quem são as meus influências e modelos, e por quê? Lembre-se que estas não têm que ser pessoas famosas, que poderia ser um vizinho, irmão ou seus pais. Quais são os meus objetivos de carreira?
    • Por que eu quero continuar meus estudos?
    • Quando e por que estou interessado na minha área de estudo escolhido? Como é que isto me moldou até agora e o que isso me ensinou sobre mim mesmo?
    • Há pontos fracos na minha candidatura? Tenho lacunas ou incoerências nos meus registros acadêmicos que eu posso explicar?
    • Quais são os pontos fortes da minha candidatura?
    • Tenho prêmios, honrarias ou recomendações que são relevantes que devo mencionar? Estágios e empregos relevantes para a minha área de estudo, incluindo as habilidades aprendidas e a experiência adquirida.
    • A minha experiência me preparou para o futuro na minha carreira - Como?
    • Quais os serviços sociais/programas voluntários eu já estive envolvido? O que é estes me ensinaram, em geral, e sobre mim mesmo? Será que estes dizem respeito à minha área de estudo?
    • Quais atividades extracurriculares eu estive envolvido
    • e que contribuíram para os meus estudos ou objetivos profissionais?
    Estas parecem ser um monte de perguntas - em essência, elas desenvolvem a base de informações que você vai realmente colocar em sua carta e as respostas a todas as perguntas. Responder a estas questões o mantêm no caminho para manter sua carta PESSOAL. Procure por denominadores comuns nas respostas que você escreveu, isto pode ajudar a formular um tema ou uma conexão que você pode construir na sua carta pessoal. Estas parecem ser um monte de perguntas - em essência, elas desenvolvem a base de informações que você vai realmente colocar em sua carta e as respostas a todas as perguntas. Responder a estas questões o mantêm no caminho para manter sua carta PESSOAL. Procure por denominadores comuns nas respostas que você escreveu, isto pode ajudar a formular um tema ou uma conexão que você pode construir na sua carta pessoal. Planejamento parte B e fazendo o seu primeiro rascunho. Planejar a estrutura da sua redação e de outorga de seus próprios limites de palavra para cada parte te dão um quadro para desenvolver o conteúdo. Naturalmente, existem três partes principais - introdução, corpo e conclusão. A partir da observação que fizemos anteriormente, juntamente com as perguntas que você precisa responder, aqui é onde você condensa os seus tópicos para caber em cada uma das três sessões - relevância, potência para apoiar a sua candidatura e a evidência de que você é o que eles estão procurando.
    • Introdução. Sua introdução e até mesmo a sua primeira frase são a parte mais importante da sua redação pessoal. Aqui é onde você pode capturar a atenção dos representantes de admissões. Faça a sua primeira frase original e atraente. É recomendado que você indique de forma criativa PORQUE pretende realizar este campo de estudo em sua primeira frase. O resto da sua introdução deve fornecer uma breve explicação que apóia esta primeira declaração. Divida o limite de palavras pelas três partes de sua carta pessoal, colocando cerca de 30% na sua introdução.
    • Corpo. O corpo de sua redação pessoal vai ser um trabalho duro - você precisa usar cerca de 50% de seu limite de palavras para dar aos representantes de admissão uma prova concreta de por que você se destaca da multidão presente no processo de candidatura. O corpo também é onde você estará respondendo perguntas e dando exemplos de experiência e os efeitos da experiência. Respostas e evidências precisam sempre refletir quem você realmente é. Se você está lutando para se manter no limite de palavras, atribua um limite de palavras a cada questão também.
    • Conclusão. Agora você está olhando para os restantes 20% do seu limite de palavras para ser a sua conclusão. As percentagens podem variar se limites de palavra maiores forem permitidos. Certifique-se de colocar o porquê você está interessado nesta área de estudo; exponha os pontos-chave do corpo de sua redação (por exemplo, realizações, experiência e interesse). Certifique-se de mantê-la breve, a ponto de deixar os clichês de fora. Da mesma forma que você iniciou a sua redação pessoal, com algo para prender a atenção, certifique-se de terminar a carta pessoal com uma ou duas frases que são positivas e deixam o leitor se lembrar da sua carta enquanto estão lendo as outras. DICA: Como esta é uma redação pessoal, é aceitável a escrever na primeira pessoa
  3. Revise a sua carta pessoal. Pule esta etapa e você vai em direção à rejeição. Muito poucas pessoas escrevem perfeitamente na primeira vez e se você ficar sem tempo para fazer esta etapa, então você está deixando a sua candidatura curta. 
    • Verifique a gramática, ortografia e pontuação. Se você não está confiante sobre estes aspectos então peça a alguém em que você pode confiar ou contrate um profissional para verificar a sua redação pessoal.
    • Reveja a sua carta e faça estas perguntas:
    • Eu respondi às perguntas necessárias?
    • Eu apresentei os melhores exemplos de experiências e efeitos que são relevantes para a minha área de estudo ou para quem eu sou?
    • Eu respondi efetivamente à pergunta principal aqui - Por que a Faculdade deveria me aceitar ao invés dos outros candidatos?
    • Será que esta redação reflete quem eu realmente sou ou faço soar como "eu sou bom demais para ser verdade"?
    • Eu iria dormir se eu tivesse que ler isto ou será que prende a minha atenção?
    • Eu deixei meu senso de humor aparecer?
    • Eu dou a impressão de ser muito teimoso ou muito extremo em minha opinião?
    • Eu abordei alguma fraqueza que eu tenha, por exemplo, notas baixas?
    • Verifique se há fluxo lógico e transição de parágrafos, o que deixa a carta forte e fácil de ler.
    • Leia a carta pessoal toda - se você precisa ler qualquer uma das frases duas vezes, então reestruture essa frase. Eu fui muito breve sobre uma área importante e muito longo em outra? Corte e retire até que você saiba que esta redação está forte, lógica e capta a atenção do leitor. Se você ver algum clichê, remova-o e encontre outra forma. Ao mesmo tempo, dê a você mesmo um limite de quantas revisões você irá fazer, caso contrário você irá ficar cortando e alterando, perdendo a essência do que você está escrevendo.
    • Por último, a revisão por pares - uma pessoa ou pessoas que você possa confiar para ser brutalmente honesto e quem o conhece bem. De preferência alguém que também entende que essa redação pessoal é a admissão à faculdade. Consiga várias pessoas para te dar uma avaliação se a carta está entediante, juntamente com uma avaliação para saber se você realmente refletiu ou não quem você é.      
Finalmente, lembre-se de fazer os passos de revisão 1, 2 e 3, após cada revisão para garantir que você não perdeu o seu caminho. Fazer uma redação de admissão na faculdade interessante e que vai se destacar da multidão é uma questão de entender o que você realmente pode oferecer e que você realmente é. Se houver falhas na sua candidatura, pelo menos, garanta que você tentou explicá-las, bem como indicando seus pontos fortes e experiência.