Como identificar fontes ocultas de cafeína

Nós todos sabemos que nosso café da manhã contém cafeína, assim como o chá preto. Entretanto, quão certo você está sobre o resto dos alimentos e bebidas que você consome diariamente? Você sabe o seu consumo diário de cafeína ou você está – como muitas pessoas – assumindo que o seu café descafeinado, seu refrigerante de laranja, e seu chá verde não contêm cafeína? O consumo adulto médio por dia é de aproximadamente 200 mg – tenha certeza que você sabe de onde sua cafeína está vindo!

1.    Leia os ingredientes. Este não é um método infalível para determinar se o alimento ou a bebida contém café, entretanto. Alimentos industrializados somente têm de listar cafeína como um ingrediente quando ela tem sido adicionada ao produto. Se a cafeína está presente naturalmente – como no chocolate ou no chá preto – ela não precisa ser listada. Além disso, a quantidade de cafeína não é requerida para estar na embalagem – então, você pode não ter idéia de quanta cafeína você está consumindo.

2.    Entenda que descafeinado não significa ‘sem cafeína’.  Algumas fontes bastante comuns de cafeína incluem bebidas descafeinadas. Café descafeinado, chá, ou bebidas leves contêm menos cafeína que o normal para essas bebidas, mas ainda contém quantidades detectáveis. A quantidade varia de marca para marca, mas a maioria das marcas de café descafeinado tem entre 8 a 14 mg de cafeína por porção. Embora seja menos que o normal de 85 mg em cafés cafeinados, ele ainda pode causar dependência. Além disso, muitas pessoas são sensíveis a até pequenas doses de café, experimentando ansiedade, agitação e aumento dos batimentos cardíacos e pressão sanguínea com a quantia de apenas uma xícara de café descafeinado.

3.    Cheque as embalagens de todas as bebidas leves – não apenas colas. Bebidas leves cafeinadas existem desde 1880! Nós todos sabemos que Coca-Cola e Pepsi contêm cafeína, mas muitos outros refrigerantes também tem.  Embora muitas pessoas assumam que refrigerantes “limpos” não contém cafeína, Mountain Dew contém mais que Pepsi ou Coca, e Sunkist Orange tem quase tanto quanto uma cola normal. Cerveja de raiz normalmente não contém cafeína, mas há marcas com cafeína adicionada, então, sempre cheque a lista de ingredientes.

4.    Lembre-se que chocolate contém cafeína. Possivelmente porque nós estamos acostumados a obter nossa cafeína de bebidas, nós normalmente esquecemos que chocolate é uma fonte oculta de cafeína. Embora chocolate branco não contenha cafeína, chocolate ao leite e preto podem conter quantidades significantes de cafeína. Isso ocorre também com alimentos que contém chocolate: brownies, bebidas de chocolate, chocolate quente, sorvete de chocolate, biscoitos de chocolates e torta de chocolate contém variadas quantidades de cafeína.

5.    Cuidado com os aromas de café. Outras fontes ocultas de cafeína podem incluir alimentos aromatizados de café. Iogurte de café, sorvete de café e bebidas aromatizadas tendem a conter cafeína. Na verdade, um recipiente de seis onças de iogurte de café aromatizado pode conter tanta cafeína como uma Coca-Cola de 12 onças: cerca de 36 mg.

6.    Eduque-se a respeito do guaraná. O estimulante erval guaraná é uma fonte oculta e natural de cafeína que tem se tornado um ingrediente comum em bebidas energéticas, junto com cafeína e outros estimulantes ervais.  Na verdade, uma bebida energética contendo guaraná pode ter quase 260 mg de cafeína!

7.    Procure por outros estimulantes ervais contendo cafeína. Além do guaraná, erva mate e nozes de kola são fontes de cafeína. Chá feito com erva mate normalmente é proclamado como não contendo cafeína – mas nada é dito sobre a ocorrência natural da cafeína na erva mate! Nozes de Kola são populares em muitas culturas da áfrica ocidental e podem ser encontrados em algumas bebidas.

8.    Cheque a embalagem de seus medicamentos. Alguns medicamentos incluem cafeína, especialmente anti-gripais diários, remédios contra dor de cabeça e pílulas de dieta. Olhe para estas fontes ocultas de café com cuidado, já que você não deve estar ciente da cafeína contida em medicamentos!

9.    Espere com calma pelo seu próprio sistema de teste de cafeína! No departamento de química da Escola de Medicina na Universidade de Washington em St. Louis, Missouri, químicos estão trabalhando em um kit de teste para fazer em casa sobre a cafeína. Eles esperam que as tiras de teste estejam disponíveis em breve para detectar a presença e a quantidade de cafeína, para que você não dependa de embalagens nutricionais.

10.    Cheque o conteúdo de cafeína na internet. Sites como EnergyFiend listam o conteúdo de cafeína em diferentes alimentos e bebidas para que você tenha certeza que não está recebendo nenhuma fonte oculta de cafeína.


11.    Não se preocupe se você tem um consumo moderado de cafeína. Profissionais de saúde geralmente definem um consumo moderado de cafeína entre 250 a 300 mg diários, ou entre 2 a 4 xícaras de café, dependendo do método e de como ele é preparado. Entretanto, se você consome muito mais do que essa quantidade, você pode começar a perceber sintomas como dores de cabeça, agitação, insônia, irritabilidade e aumento dos batimentos cardíacos, problemas estomacais e até mesmo aumento das chances de ataques de pânico.

Embora as opiniões divirjam em relação aos efeitos de longo-prazo da cafeína no corpo, ninguém deveria ingerir cafeína quando não quer. Certifique-se em conhecer as mais comuns fontes ocultas de cafeína, somente as consumindo quando você está totalmente ciente do que elas contêm!